13 janeiro 2009

O ÔNUS DE SER HONESTA

(A idéia nasceu num dia de absoluto ócio naquele escritório (sexta, 26/12!). De Poa, Jana igualmente sem assunto. E nós duas trocando e-mails freneticamente. A pauta? Nossa pior qualidade e melhor defeito: a sinceridade.Todas as lamúrias destiladas com o humor negro que nos sobra, cada uma escreveu o seu próprio texto embora não tenha lá graaaandes diferenças. Mas quis tb eu dar a minha reclamadinha...)

O que acontece é que de maneira geral (de maneira geral é mto bom!) sou bem sincera. E nunca ganhei nem um docinho por conta disso, pelo menos afetivamente, digamos assim: perdi a conta das coleguinhas que sucumbiram ao peso da minha franqueza; assustei alguns mocinhos ao sinalizar minhas boas intenções; irritei ou decepcionei outros tantos com a minha invencível inépcia para os tais "joguinhos de sedução"(joguinhos de sedução não é nada bom!); afastei pessoas (fracas?) e conquistei várias almas afins por seguir acreditando que quem fala a verdade não merece castigo, apesar de.

Tudo pq além de defeito de fábrica (sem recall, lamento informar!) eu tenho é muita pressa: quero viver tudo que há pra viver, sem enrolação, queimando todas as etapas desnecessárias e enguiços enervantes (próprios da condição humana?) Que sentido há, jesuiscristo, em ir embora querendo ficar? Em dizer não qdo é pra dizer pelo menos talvez? Não entendo mesmo isso da pessoa não saber o que fazer com as coisas inesperadas que ouve! Sempre há pelo menos duas hipóteses: fazer nada ou fazer alguma coisa, qualquer coisa. Dai a pessoa não faz nada, eu entendo isso como uma negativa so sweet (pq mentiras sinceras me intereéééssaaaaam!) e lá se vai uma coisa bacana apenasmente pq não é muito comum ser tão assertiva. aff. E se for assim ainda não tá tão mau, pq pode ser que o 'fazer alguma coisa' da pessoa seja mais traumático do que o 'não fazer nada'.

Mas qdo o 'fazer alguma coisa' é traumático pelo menos a gente tem a que reagir. Revidando um beliscão com um tiro ou sendo a mãe do bom senso & amor próprio, alguém toma alguma atitude. Particularmente, acho bem pior o tal do 'não fazer nada': neste caso a coisa bacana nem vai para o Céu Dos Interesses Unilaterais, nem pro Inferno Do Bem Feito, Eu Te Avisei...vai pro Limbo Das Idiotices Que Não Cometerei Nunca Mais, seguida de um cortejo de promessas a (não) se cumprir e toda a culpa decorrente.

E o que se faz no limbo? Atenta-se o juízo dos viventes, oras!!! É de lá que vem aqueles pensamentos paranóides, aquela vergonha duzinfernu, aquela indignação que ninguém consegue mitigar... e gente quase reza por um Alzheimer precoce pra não precisar encarar a mais vaga lembrança do fiasco.

Percebem? A gente acaba se auto flagelando por agir certo!!! A gente faz o que é pra fazer, se responsabiliza pelo que quer ( e invariavelmente é injustiçada por isso: ou pagamos de carentes ou de fáceis), se vira do avesso pra encontrar as palavras certas e o ser se assusta!? Ah, te fudere!!! O que devia assustar é a tibieza em que as pessoas andam vivendo...

9 comentários:

eurídice disse...

post incrível, querida, repleto (isso deve ser mais que "cheio" - porque há sutilizas nas palavras que só aqueles que gostam muito delas percebem, não achas?) de tiradas sensacionais... para resumir, duas do finalzinho me fizeram rir às gargalhadas ou me irritaram levemente por não terem saído da minha própria cabeça (super gêmeas nós muitas vezes - almas afins que somos!): rezar por um Alzheimer precoce para não lembrar das burrices que vão para o limbo e a tibieza em que as pessoas andam vivendo.
bom demais o postinho reclamão!!!!

p.s.: e o que é aquele texto do retrovisor, pelaóstia???!!!!

Jana disse...

eu já disse que vc escreve infinitamente melhor que eu né? kkkk


e acho que a minha coisa bacana nem vai para o Céu Dos Interesses Unilaterais...
beijo

Ana D disse...

rsrsrs...e como é complicado vivermos e nos entendermos...rsrs DI-FÌ-CIL...O negócio e por um pouco de riso ...rs

Vermelha e Ardida disse...

Mexeram no que tava quieto, usei da tal sinceridade! Assustei pelo jeito. Qdo o ser q devia se assustar por suas atitudes, ou falta de...
Ai viu

katy disse...

oi clara, eu nunca fui muito sincera nos meus relacionamentos amorosos, mas agora que já vi que mesmo mentindo ou não falando o que penso pra não machucar o outro, as coisas continuam dando errado, eu agora boto a boca no trombone!!!! e que dane-se o resto... bjs

Thito disse...

Só não entendi o comentário anônimo-assinado.

Kkkkkkkkkkkkk

Beijos

Jana disse...

mandei um email surtado pra vc... beijo

Etc e tal disse...

Adorei o texto... Outro dia eu li um texto sobre a sinceridade que dizia:"Nunca ouvi coisa boa quando alguém foi sincero comigo." Eu acho que quando somos sinceros, não estamos tentando ser bom com a outra pessoa, estamos tentando fazer com que a outra pessoa se sinta mal e saiba que está sendo ridiculo, estamos tentando ser superiores... Consideramos a sinceridade uma forma de libertação, a nossa libertação..." O amor não está nem ai para o que acreditamos e deixamos de acreditar. Ele acontece, apesar de nós."

Bom texto!!! ótima semana para vc.

Bjus

Gioconda disse...

hummm eu poderia ter escrito isso...:) é muito eu mesma...rs